// 4 Dec 2013

Resenha: "Marley & eu", de John Grogan


Autor: John Grogan
Editora: Ediouro
Páginas: 304
Avaliação: ★★★★★

A obra é uma vida narrada e muito bem elaborada, trata do cão mais bagunceiro de todas as tramas e que mudou em completo a vida de seus donos. Marley, um labrador, foi adotado por John e Jenny. Ambos já haviam criado cachorros e tinha aquela meiga experiência com cachorros carinhosos e bonzinhos. Logo após o bem sucedido casamento, foi para Flórida, e depois que Jenny matou uma plantinha afogada, ela se sentiu muito carente e queria testar seu lado maternal. 

Certo dia, conversando, resolvem adotar um cãozinho e mais que depressa vão à casa de uma criadora de labradores e escolhem um filhote que acabara de nascer, viram a mãe dos cachorrinhos calma e as esperança de ter novamente um cachorrinho dócil em casa começaram a crescer. Ainda assim, se assustaram em ver a figura de outro cachorro, que era o pai, muito alegre e extrovertido, o que eles nem imaginavam era que Marley seria exatamente como seu pai.



Então, depois se saíram do serviço, foram buscar Marley e o colocaram em uma caixa na garagem, o que não durou muito tempo e logo o cãozinho estava dentro de casa, carregando tudo, mordendo o que via pela frente e latindo com tudo, especialmente com o carteiro. Mas na hora de seus dejetos, Marley sempre escolhia um lugar no quintal e esvaziava seu estômago para que pudesse devorar mais uma tigela de comida. Passou um tempo e foi com grande alegria que Jenny disse que estava grávida, Marley logo ficou inquieto.


 A gravidez não foi bem sucedida o bebê era natimorto, esse foi o momento que Marley, um cão inquieto, surpreendeu, dando total carinho a Jenny. Logo, tudo voltou ao normal. Em certo dia, Marley é chamado para gravar um filme, pouco tempo depois das cenas não sucedidas, o casal leva Marley para o adestramento. Não podia ser diferente, o cão deixa todos ridicularizados.  



Assim se passaram muitos anos, passeando com Marley, brincando com as crianças, se alegrando na neve e em certo momento, começam a perceber que Marley já não tem mais a sua energia infantil...


Para um cão,você não precisa de carrões,de grandes casas ou roupas de marca. Símbolos de status não significavam nada para ele. Um graveto já está ótimo. Um cachorro não se importa se você é rico ou pobre, inteligente ou idiota, esperto ou burro. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Dê seu coração a ele, e ele lhe dara o dele. É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos, tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não. De quantas pessoas você pode falar isso? Quantas pessoas fazem você se sentir raro, puro e especial? Quantas pessoas fazem você se sentir extraordinário?
É provável que muitos já ouviram falar do livro e o final arrebatador que ele trás e que não conhece o livro, já assistiu o filme. É impossível não rir das trapalhadas que Marley faz. Se recomendo? Demais. 

“Te amo apesar de tudo, ou talvez por causa de tudo.”
Resenha escrita por Ívia Alves.

_DEIXE UM COMENTÁRIO

  1. Oi Ívia, tudo bem?
    Nossa, faz quanto tempo que não venho aqui Igor, ela é a nova colaboradora/colunista? Gent! Parabéns e sucesso viu? <3
    Então.
    Eu tenho Marley e Eu na minha lista de desejados, mas eu não compraria... Sei lá, ele não despertou a minha curiosidade, sabe? Apesar de todos falarem maravilhas desta obra. ):
    Mas a sua resenha ficou boa, viu Ívia? :D

    Beijinhos
    www.november92.com

    ReplyDelete
    Replies
    1. A Ivia ainda não é colunista Luh, ela vive sem tempo para mim. Ela escreve nem não é??

      Delete
    2. Oi Luuh.. estou bem e muito bem atrasada mesmo hheheheheh.... Muito obrigada, amei seu comentário e fico feliz com a consideração!!!!
      Ah Igor kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk estou aqui :D não vivo sem tempo pra você... todos falam isso, mas o tempo é dividido por igual pra todos!!!
      Não posso negar realmente a falta de tempo rsrsss acabo de ver o comentário de 04 e 06 de dezembro de 2013.... enfim, sem justificativas né? ;) hehhehehhe amei poder contribuir com o blog, aliás, amei que aceitasse minha resenha e prometo não me ausentar tanto assim novamente ;D
      Beijos Luuh, obrigada e beijos Igor, thanks ;) kkkkkkkkkkkkkkkkk e não vivo sem tempo pro Igor... isso não acontece <3 ah, detalhe pro Igor: o aprendendo curiosamente também ainda existe ruuuum
      Espero ser perdoada pela demora com esse jornal hihihh

      Delete
  2. Eu amei esse filme, mas o livro eu infelizmente nao consegui ler muito nao :(

    Beijao da Lari <3
    www.pseudobailarina.blogspot.com

    ReplyDelete
  3. Sumii mesmo igor, ta bem complicada a vida de universitária quase formanda hahaha, faltam apenas 1 ano e meio e a loucura já tomou conta hahah que bom que gostou igor, fico feliz que goste das fotos *---*

    que layout mais linda, espero mudar o meu em breve haha se a faculdade deixar hahaha
    ai você acredita que ainda não tomei coragem de assistir ao filme inteiro e nem ler o livro, porque sei que vou derramar lágrimas o filme e o livro inteiro hahahhaha mas ainda ei de ler e assistir inteiro, porque assisti até metade do filme hahaha

    acho que lindo a história, é super bem contada e verdade né? por mais que a gente briga com o cachorro a gente ama demais né hahhaha

    beijinhos :*
    japona.mairanamba.com

    ReplyDelete
  4. Esse livro está na minha wishlist desde que eu vi o filme. Não é possível não se emocionar, ainda mais quando se tem um cachorrinho também
    Sua resenha ficou muito boa!

    depoisdeumlivro.blogspot.com

    ReplyDelete