Resenha: Wereworld - A fúria dos leões

Autor: Curtis Jobling
Editora: Benvirá
Páginas: 394
Avaliação: ★★★★★
Série: Wereworld, volume 02.
*Resenha pode haver spoilers

Uma vez construído o desejo de ler “A Fúria dos Leões” isso se deve ao volume anterior, A origem do Lobo. A série Wereworld surpreende ainda mais na sua continuação: o aspecto saudável do primeiro livro é desamparado no segundo, sendo este último constituído de mais ação e emoção. 
“Você é o que você é, Drew. Não há como fugir disso. Deveria ter orgulho de sua herança, meu jovem.” Página 200.
Após descobrir que é decente do mais valentão e poderoso rei Lobo, a vida de Drew nunca mais será a mesma. A carga de ser um suposto rei não é aceita pelo lobo: para ele o objetivo é salvar a sua amiga, proteger seus amigos e deixar que as coisas se alinhem por si só, mas eles não sabe que todo o Reino depende dele, da sua bondade, do seus espírito de esperança e aventura. A Fúria dos Leões  trás personagens do primeiro livro, com grande ênfase na história. Será o futuro de Drew torna-se rei? Será tão fácil? Acho que não, pois os Catlords estão chegando...

Não seria necessária a morte sempre presente, os machados e espadas entrando nas entranhas; a escrita de Curtis Jobling é bastante convincente em deixar o leitor com a vontade de pedir bis. Jobling, acostumado em produzir histórias infantis, se demonstra com uma história voltada para o publico jovem de alto valor. 

As intrigas e conflitos que o autor desenvolveu são bem intencionadas e surpreendentes – às vezes surpresas boas, e por maioria delas ruim. A ganância e o egocentrismo estão enraizados em vários personagens, cujos estes estão apostos em matar pai, irmão e destronar quem estiver na frente, só por poder. Mas (sempre existe um mas) valores como amizade, amor, coragem, força e inteligência serão provados e comprovados pelo protagonista e por personagens próximo ao personagem principal. Serão estes últimos capazes de fazer de tudo para salvar a pele de seus amigos, até mesmo colocar em risco o próprio batimento cardíaco – a vida.
“Você não pode fugir para sempre, Drew. – suspirou ela – Não pode fugir do que é. Não interessa a distância que você percorra, o destino vai alcança-lo.” Página 243.
Em “A Fúria dos Leões” exploramos ainda mais as extensões de Lyssia, conhecendo ainda mais seu mapa e seus novos personagens. Ainda que seja abordado muita no segundo volume da série, percebo que nos próximos volumes será contado ainda mais. Fica evidente que não conhecemos todos os seres desse mundo fantástico e que eles ainda vão te deixar perplexo. 

Gostaria eu saber se a cor do livro se deve a tanto sangue derramado durante todo o caminho de Drew Ferran. O livro é preenchido de monstros não só fisicamente, mas trucidais e cruéis a ponto de matar só por matar, além da diversão em esfaquear personagens legais; o transtorno do livro também está aliado à vingança, hierarquia e poder. 

O final desde precioso volume não poderia ser mais arrebatador e sem piedade, o leitor por sua vez ficará ainda mais ansioso para o próximo livro, devido a personagens já esquecidos conduzidos pela escrita maldosa de Curtis Joblig.

  1. Gostei muito do post! Fez eu me interessar pelo livro!!

    Beijos

    blog-belavida.blogspot.com.br

    ReplyDelete