Resenha: 'Em busca de um final feliz', de Katherine Boo

Autor: Katherine Boo
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
Avaliação: ★★★★
"Parecia que os barracos haviam caído do céu e foram amassados na aterrissagem."
Sempre há um grande impacto ao receber uma não ficção em mãos. Ler algo verídico e por via histórico é algo que me faz refletir bastante. Em busca de um final feliz, veio com a proposta: de fazer refletir. Na capa, não precisa de photoshop ou efeitos especiais para mostrar a miséria e a pobreza do local, ali, já está situado ao ambiente o lixão como algo normal. 

Katherine Boo trouxe uma realidade das mais diferentes e que nenhum brasileiro está acostumado, por mais que a pobreza e miséria existam no país brasileiro, acho que não se compara as varias regiões da Índia. Há algo que eu gostaria de comparar entre os dois lugares é a evidência de uma grande corrupção e injustiça.

Em busca de um final feliz traz uma carga emocional grande e um clima pesado durante a leitura: retratar crianças sempre choca e vai chocar as pessoas e a mim. Não estou acostumado a ver crianças trabalhando e sendo tratadas iguais animais para tirar um sustento no final do dia. E aí, somos apresentados de cara em um mundo que existe do outro lado do planeta. Dentro de Annawadi, uma favela apertada, populosa e miserável construídas aos arredores do aeroporto de Mumbai. 

Desde novembro de 2007 até março de 2011, Katherine permaneceu nas terras asiáticas para fundamentar e construir suas pesquisas, coletando informações de moradores da favela, depoimentos das crianças já “escravizadas”, com características e olhares diferentes de cada pessoa. Conhecemos logo de início várias personalidades, como Abdul e sua família que são catadores e revendedores de lixo e com o pouco do dinheiro que ganham conseguem despertar inveja entre muitos da vizinhança; Asha uma mulher determinada a ficar rica e tirar de vez a vida de sua família da miséria. Ainda na família de Asha conhecemos sua filha que por sinal está determinada a ser tornar a primeira mulher da favela a ter uma graduação; Ao ler, deparamos com vários outros personagens capazes de somente com sua história arrancar lágrimas e lágrimas. 

Mas o que vale tirar de bom do livro é que apesar de todo o sofrimento, toda a injustiça. Nunca, jamais, em hipótese alguma deixam de ter esperança de ter uma vida melhor. Eles estarão sempre em busca de um final feliz. 
"Minhas flores vivem mais tempo porque eu não guardo nada sombrio no meu coração. Eu deixo as coisas ruins saírem." Página 209.
 *se você reclama de tudo, reflita um pouco, há gente que não tem o que comer e está contente por isso. 

  1. Livro lindo, com uma história bem interessante... ainda quero terminar de ler ele hehhehe mas é Muito legal.... e marquei você em uma tag, vem ver e ficarei feliz se responder: http://aprendendocuriosamente.blogspot.com.br/2013/10/tag-como-eu-leio.html#comment-form
    Beijos e grande abraço.
    Te espero em aprendendocuriosamente.blogspot.com
    Ivia - Brasília

    ReplyDelete
  2. Que resenha lindaaaaa! Sério, de verdade. Acho que foi a primeira vez que li uma resenha que realmente me emocionou. O livro parece ser muito bonito mesmo, é a primeira vez que o vejo e leio uma resenha sobre ele e fiquei muito interessada em ler. Eu tbm me choco muito com as realidades alheias ao nosso país mesmo sabendo que aqui temos similaridades. Agora fiquei curiosava, vai pra mima wishilist!
    Amei conhecer o sete coisas, fã de carteirinha me define agora! haha beijos!

    www.vivapaulatinamente.com

    ReplyDelete