Resenha: Cadê você Bernadette?


Autora: Maria Semple
Editora: Companhia da Letras
Páginas: 376
Avaliação: ★★★★★

DOAK1SDPAOSDKASODPK42A3DOPASKDOAPDODASDA
AKDOPASDKAPO8D9KASPODADPAOSKDAPO3KSDddPO
AKD3OPASKDP6O4DKASPODDPASDLKSAPODAPDASAD
KDOPAKSDOAPSD7KAPOMORRIRINDDOAPSDKO$#@!#! 

Não haveria outra maneira de começar a falar desse livro sem soltar uma gargalhada enfática e feliz. ‘Cadê você Bernadette?’ supre todas as exigências de um romance não romântico, deixando-o leve, descontraído e o melhor de tudo: divertido! 

 Maria Semple não poderia brincar mais com seus personagens do modo que os usou na trama. Todos os personagens dessa história por mais que eles estejam no ápice mais normal eles acabam se tornando estranhos. Bee é uma menina super aplicada e inteligente, só recebe nota S nas matérias – tirar nota S significa ser superior a inteligência. Após se formar no ensino fundamental, Bee pede aos pais para fazer uma viagem para a Antártida em trocas das suas notas excelente. Mas sua mãe, Bernadette Fox, sempre foi esquisita e diferente: odeia pessoas, odeia o trânsito, odeia as mães da escola, odeia sair de casa, odeia livros, não tinha como ser mais antissocial. Para completar a história Bernadette tem uma espécie de amiga, Manjula, que mora lá na Índia e é a sua assistente pessoal, ou seja, Manjula faz as coisas mais simples como compras, telefonemas, agendamentos lá da Índia por pura preguiça e antissocialíssimo da sra. Fox. Alguns dias antes da desejada viagem de Bee, Bernadette desaparecem sem mais nem menos, começando uma busca frenética por quem Bee achava que conhecia tão bem. 


"É por causa de coisas assim que precisa amar a vida: um dia você está entregando o número do seguro social para a máfia russa; duas semanas depois, você está usando o verbo desprender" Página 355

O livro é perdido em e-mails, recados, sms – todos os recursos disponíveis do século XXI –, mas também cartas, bilhetes... A história é fundamentada e construída através da coleta de vários materiais disponíveis a Bee. O engraçado é que Bernadette Fox só vai sumir no final do livro, as 250 primeiras páginas são construídas do dia a dia dos personagens: passeios, brigas, compromissos... Essa é a parte mais gostosa do livro, conhecer o jeito de protagonista. 

Cocô no ensopado: imagine que tem uma sopa muito gostosa e que você está com muita vontade de comer, mas se pegar um pouquinho de cocô, mesmo que seja bem pouquinho você vai querer comer? É assim que sinto em relação a “Cadê você Bernadette?”, não tem cocô no ensopado, não falta nada para preencher o leitor de uma alegria e uma satisfação incabível. 

“Tire essas moscas daqui” é assim que Bernadette se refere a todas as mães da escola de Bee, olha que sorte, o livro também está livre de moscar indesejáveis. As varejeiras de chatice, incomplexidade e demoras são todas mortas com a escrita infalível de Maria Semple. 

"Cadê você Bernadette?" - aposta de setembro da Companhia das letras, 2013 - se torna um livro delicioso devido a maneria hilária e inteligente de como Semple trouxe a vida de uma família americana do jeito mais diferente, e, para quem já estava enjoado de romance adolescente esse romance veio com a proposta bem interessante e rompe todos os conceitos construídos de como a vida dos americanos são perfeitas. 

Se você adora rir com personagens loucos, Bernadette não pode faltar na sua estante. 

  1. Oie :)

    Estou morrendo de vontade de ler esse livro, todos estão falando super bem dele e tenho certeza de que irei gostar, o enredo em agradou bastante e sim eu adoro rir com personagens loucos hehehe, beijos !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ReplyDelete
  2. Eu adorei esse livro. Achei a história original, diferente e muito divertida. Adorei sua resenha, refletiu exatamente como eu me senti lendo o livro

    ReplyDelete