Resenha: A Outra Vida

Autora: Suzanne Winnacker
Editora: Novo Conceito
Páginas: 270
Avaliação: ★★★★
Série: Weepers, volume 01
Quem éramos antes da epidemia – como nunca seremos novamente...
Suzanna Winnacker fez um romance de escrita muito, muito, mas muito ágil e rápida. Seu livro trás uma história que prende o leitor até o final da leitura por horas, por horas mesmo, levando o ponto de que A outra vida foi uma leitura muito rápida e leve. 

Essa história me lembrou muito de Residente Evil, são gêneros iguais porém com intuitos totalmente diferentes. Após o egoísmo e pela perspicácia de criar um vírus e modificar uma doença similar a raiva, isso tudo para ver o que acontecia em pessoas e como ter uma cura para a modificação do vírus. Os escrúpulos e cuidados humanos são tantos que o experimento não funcionou do modo que os pesquisadores queriam e a inexistência de um plano b (como a cura) afetou proporções inesperadas. Quando o vírus passou a se espalhar pela cidade de Los Angeles, pessoas infectadas que ficavam doentes e morriam depois de um período, quando não morriam seus genes são modificados tornando-os em monstros/zumbis brutais e inteligentes. Devido à brutalidade do vírus ter se espalhando as pessoas foram obrigadas a se trancarem em seus próprios porões ou ir para abrigos públicos, onde é mais seguro. O governo fez várias promessas dizendo que a desgraça demoraria pouco, sendo solucionando em meses, semanas ou até mesmo em dias. Passou três anos com as promessas do governo vangloriando as vias sonoras dos rádios, até que eles deixam de manter contato.

Chegou a vez de sentir na pele o que é estar três anos, um mês, uma semana e seis dias dentro de um lugar que você não tem luz solar, não tem amigos para conversar e seu estoque de comida tem somente uma lata de sopa. Narrado em primeira pessoa o livro conta o lado de Sherry e de sua família, mais das tantas outras famílias californianas que foram obrigadas a morar no subsolo para se salvarem. O passatempo da protagonista é contar os dias, as horas, os minutos, segundos. Bom, acho que quando você está aprisionado e não pode sair o único divertimento é contar o tempo mesmo. Mas a liberdade está logo adiante quando os suprimentos ficam escassos e é preciso que alguém saia do esconderijo para conseguir alimentos para a família. 

Sair para um mundo “desconhecido” não é tão fácil quando se parece. Todos os praxes e sintomas de um mundo apocalíptico aparecem através das cidades destruídas. Além da destruição em massa, pai e filha após saírem do abrigo estarão em perigo somente pelo fato de ter sangue correndo pelas veias e por ser comestível também. Despreparados para os “mutantes” Sherry e seu pai foram presas fáceis, mas o improvável acontece e uma alma bondosa e heroica aparasse para salvar a mocinha. Mas é aí, na salvação que começará os problemas...
“Este novo mundo tem suas próprias regras. Sobreviver aos ataques é uma delas. Se acha que vai encontrar bondade e misericórdia, está enganada. Saí do abrigo com mais de vinte pessoas. Agora sou o único vivo.” Página 81.
O primeiro livro da série Weepers me pegou desprevenido e me fez gostar bastante da história, apesar de não ser engomada em algo extraordinário. Gosto muito do tema 'zumbies' e acho que faltou explorar um pouco mais em "comer cérebros"  (ação). 

A outra vida, lançado em agosto de 2013, me faz refletir referente à sua nota. Eu daria três pelo enredo em geral, mas se você observar a leveza e a tranquilidade da autora quando ela quis passar o assunto para os leitores, acabo percebendo que foi muito fácil entender tudo. Além de ser uma trama bem legal e inteligente, não que seja algo complexo e tudo mais, mas foi uma ideia bem sacada e transcrita de modo muito legível com isso a nota sobre para cinco. Mas balancear entre minhas duas opiniões a nota final será quatro estrelinhas, pois foi um livro que gostei, mas não é o livro épico de todos os tempos. 

A diagramação e editoração produzidos pela Novo Conceito está de parabéns, uma fonte de tamanho gostoso de se ler. A capa bem legal e condizente com a história, além do começo de cada capítulo e entre os capítulos. A autora não deixa de abordar o esquemático e enigmático romance entre os protagonistas. Mas o intuído final do primeiro livro da série não é amor e brigas. Muita ação espera pelo próximo volume.

  1. Aiiii!! eu queroooo,haha logo estarei com ele em minha estante se Deus quiser rsrsrs
    Adorei e eu realmente preciso de ler ele ^^
    Sua resenha só me deixou mais curiosa,parabéns pois ficou muito boa.
    Próximo,deve ser tão bom quanto o primeiro.


    Abraço.
    Tamires C.
    http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/

    ReplyDelete
    Replies
    1. DASKLDPSAODKASPODKASOPDKASDPOK! Pois não perca tempo Tamires é um livro bem legal

      Delete
  2. Sempre tive curiosidade para ler esse livro!
    Sua resenha ajudou muito! Beijão
    http://thais-monte.blogspot.com.br/

    ReplyDelete
  3. Oie...
    Tudo bom?
    Eu curti bastante esse livro... Mas achei um pouco clichê... me lembrou muito além do Resident Evil, o filme Eu sou a Lenda... Mas nem por isso, o considerei como um bom livro... Parabéns pela resenha...=D

    Adorei seu blog... Já estou seguindo...
    Depois dá uma passadinha no meu cantinho para conhecer e se puder segui-lo ficarei muito grata...
    Beijos...

    Relíquias da Lylu =D
    http://reliquiasdalylu.blogspot.com.br

    ReplyDelete