Resenha: Wereworld - A Origem do Lobo

Autor: Curtis Jobling
Editora: Benvirá
Páginas: 367
Avaliação: ★★★★★
Série: Wereworld, volume 01.
"Embora fosse tarde da noite, Drew não tinha dúvida de que estava adentrando um reino fantástico e muito além de sua imaginação" Página 83.
Os Sete Reinos de Lyssia costumavam ser liderados e governado por werelords - seres transmorfos que podem se transformar em lobos, leões, ratos, ursos, pássaros, cobras... -, até que o Leopold, o werelord leão, decidiu tomar conta de tudo (é aquela velha história leão o rei do pedaço, o rei da floresta). Com a ascensão do leão no poder os Sete Reinos começaram a ser abalados e o povo passou a viver cada vez sobre regras rigorosas e sofrendo cada vez mais, com impostos absurdos, fome e perigo. 

Leopold é basicamente um Hitler, assim como Hitler odiava os judeus, Leopold odeia os lobos. Lyssia antes da entrada de Leopold, o poder era governado por Wergar, o Lobo. Com a morte de Wergar os lobos passaram a ser extintos e massacrados pelos leoninos até que... Do outro lado Drew Ferran, fazendeiro e aspirante a pastor de ovelhas, descobre aos 16 anos que é um lobisomem e, que poderá ser filho perdido do rei lobo, Wergar.  Drew na sua fuga viverá uma aventura da qual nunca imaginou, com seu mais novo amigo Hector, um wereboar, e uma refém bipolar, werefox. Enquanto ele se vê fugindo das tropas leoninas, sairá sem querer carregando e depositando esperança de liberdade por onde passa. 

O primeiro livro da série Wereworld é introduzido em terceira pessoa, mas o autor não peca em descrever o sentimentos do protagonista e nem deixa faltar os pontos de vista dos personagens secundários. O crescimento físico e psicológico do personagem principal foi um dos fatores que mais me fez gostar do livro, acompanhar a evolução de um personagem infantil para um homem facilita o apego e conhecimento sobre o mesmo. Ou seja, não é estabelecido um herói definido, pois este ainda está em formação.  


O mundo fantástico criador por Curtis, parece ser louco e confuso. Que é louco é, mas confuso não. A história e a criatividade são bastante originais; nunca imaginei que o mundo poderia ser governado por seres "mutantes", já que o costumeiro dos livros é que seres metamorfos sejam reprimidos e considerados aberrações. Em Wereworld os seres temidos são a salvação e a garantia de paz. 
“Ela se ajeitou, encostando no peito do rapaz. Drew ficou feliz, mas se sentindo estranho ao mesmo tempo. Por que será que era necessário estar às portas da morte para ela interessar-se por ele?” Página 301
A Origem do lobo, publicado em 2011 pelo selo de ficção Benvirá, dará sequência a mais três livros, sendo o primeiro livro infanto-juvenil lançado do autor. Sem pontas soltar e bem explicado, o autor não te deixa por fora da história que aconteceu antes de Drew. A história de Drew no primeiro livro deixa expectativas e términos não concluídos para um próximo volume, com diagramação perfeita que a editora preparou para os leitores e que chama bastante atenção. Então prepara o bolso que o segundo volume já foi lançado (A fúria dos leões) e o terceiro livro já está para sair. 


*o livro tem alguns erros de português, mas creio que problemas de revisão não estraguem  e nem faça eu dar uma nota menor para a história tão legal e fantástica de Curtis Jobling.

  1. Odeia lobos, mas acho que desde Crepusculo e de um tempo pra cá comecei a gostar. Fiquei super interessada nesse livro. Quando eu olhei pra capa não dei muita fé, não que ela seja feia, achei até interessante, mas não me conquistou.

    Adorei.
    Quero muito ler.

    ReplyDelete
  2. Também adorei esse livro, concordo com tudo que você fala!

    ReplyDelete
  3. Não conheci esse livro, mas sério! Amei a dica haha
    Beijão.
    http://www.garotadolivro.com/

    ReplyDelete
  4. Parabéns pela resenha, esse livro parece ser muito bom, adicionei na minha lista do skoob.

    ReplyDelete