Resenha: Apegados

Apegados
Autores: Amir Levine e Rachel S.F. Heller
Editora: Novo Conceito, 2013
Páginas: 304
Avaliação: ★★★★

Apegados é um livro de fácil compreensão e uma leitura muito rápida. O foco do livro não podia ser outro, só de olhar para a capa você já pensa: casal, namoro, amor. O tema que Amir e Rachel vão abordar no livro: tipos de apegos. O livro traz a relação que temos uns com os outros, focando principalmente no relacionamentos dos casais. Essas pessoas, nós, de acordo com os autores estamos divididos em três classe de apego: apego-ansioso, apego-seguro e apego-evitante.

Apego-Ansioso: É aquele desconfiado com a relação; Esse tipo de pessoa, normalmente sofre muito nas relações, está tentando atender as necessidades dos outros, mas não vê as próprias necessidades. Apego-Seguro: Sem mendo intimo no relacionamento, expressa facilmente seus sentimentos, não vendo o parceiro como um problema para o sucesso independente, mas sim, como um porto seguro; um ponto de apoio. Apego-Evitante: Encara a intimidade com outras pessoas como perda da independência. A carência do próximo não é o seu problema, confia só em si mesma. É o tipo de pessoa que evita tudo. Sempre com um plano "b".
“Quando duas pessoas, em um casal, têm necessidades de intimidade que se chocam, o relacionamento deles está propenso a se tornar mais uma viagem com tempestades do que um porto seguro.” Página 165
O  livro não estabelece uma teoria chata, os autores proporcionam uma maneria de conversar com o leitor. O livro publicado esse ano, 2013, pela Novo Conceito, traz testes para que você possa identificar seu estilo e a de seu companheiro (a). Não é um livro com uma história de amor, mas mostrar de forma cientifica sobre a relação, o apego entre as pessoas. Explicar o que estabelecemos com outra pessoas. 
“Brigar pode nos fazer mais felizes? Um importante equívoco sobre o conflito em relacionamentos românticos é o de que as pessoas em bons relacionamentos devem brigar muito pouco. Há uma expectativa de que, se combinam bem, você e seu parceiro concordarão na maioria dos assuntos e discutirão raramente ou nunca. Às vezes, as discussões são até consideradas ‘provas’ de que duas pessoas são incompatíveis ou de que o relacionamento está descarrilando.” Página 253
Apegados me deixa receoso, porque eu não consigo ir a finco numa teoria cientifica, por mais que demore anos e anos, tenham estudado séculos, feito combinações, comparações.. Não dá, simplesmente não entra, não aceito teorias em relação aos sentimentos. Por isso não me dou bem com autoajuda. Mas quem sabe até seja isso mesmo que Amir Levine e Rachel Heller estabeleceu seja a crua verdade?

  1. Ganhei esse livro num sorteio num blog (que eu nem lembro de ter participado, mas livro ganho, não se reclama ^^). Comecei a ler, mas não deu, simplesmente não gosto de autoajuda. Se ainda fosse uma história em si, mas não é...

    Té mais...
    http://bmelo42.blogspot.com.br/

    ReplyDelete
  2. Faz tempo que vejo esse livro na livraria, mas perdi a vontade de ler após saber que era sobre auto-ajuda nada contra o gênero só não combina comigo, acho que mesmo com os comentários positivos e a fácil compressão não consegue ser o tipo de leitura que me aguarde oi desperte interesse.

    Ótima resenha;
    http://voudarumalida.blogspot.com.br/

    ReplyDelete