Resenha: "O retrato de Dorian Gray", de Oscar Wilde

Autor: Oscar Wilde
Editora: Landmark, 2009.
Páginas: 240
Avaliação: ★★★★★ 

Inicialmente ao pegar o livro você  pensa (eu pensei): "vai ser um livro que vai falar de um quadro, das cores que foi usada, as posições que Dorian Gray ficou para o retrato ser produzido". Sinto muito quebrar sua linha de pensamento, mas não é isso que o livro quer enfatizar.

Narrado em terceira pessoa fica evidente o quanto sr. Gray é um jovem maravilhoso, no qual os temperamentos românticos e científicos sempre estarão se confundido da forma mais estranha possível. Tanto para Dorian Gray quanto para Henry Wotton o único objetivo em viver é: ser belo, jovem e possuir o mundo aos pés. Devido a tal egoísmo o leitor é obrigado a refletir de capítulo à capítulo até mesmo no fim da leitura. É um livro que exige demasiadas reflexões.
"Atrás de toda coisa rara, há sempre algo trágico." Página 41.
Toda a insanidade cometida por Dorian vem de algo bem simples, o retrato.  Diga-se que o retrato pintado revela muito mais do que só sua imagem jovem. Com isso ele chega a ficar paranoico  Onde para ele a beleza é melhor da vida e somente essa é a única importância de viver. É um livro que abusa a descrever os pensamentos dos personagens. Acaba-se em devaneios de  pensamentos em vários momentos tanto para Henry quanto Dorian. Devido essa linhagem de pensamentos seguidos e ao fato descritivo do autor, a leitura pode acabar sendo abandonada, que não foi meu caso. O clássico vem com dramatologia bem escrita em volta suspense e mistérios. 

O retrato de Dorian Gray jaz um bom tempo que foi escrito, porém a narrativa e a história parece com cenas atuais. É algo que você vê, nota muito. Vem acompanhado da bela escrita de Oscar Wilde, turbilhão sentimental, levando o leitor a realmente questionar as atrocidades das personagens, exemplo, as verdades decepcionantes de sir Henry. 

"Hoje em dia, a maioria das pessoas morrem de um espécie de senso comum progressivo, descobrindo, quando já é demasiado tarde, que a única coisa que ninguém jamais lastima são os próprios erros." Página 47. 

  1. Um verdadeiro classico
    Já li assisti o filme e gostei bastante
    Agora quero o livro

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ReplyDelete