17.6.13

Resenha: "Liberta-me" de Tahereh Mafi

Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
Avaliação: ★★★★★ ❤❤
Série: Estilhaça-me, volume 02.

Nunca esperei tanto por uma continuação de uma série, quanto a de Estilhaça-me. No primeiro livro da série, Juliette a criança pequena e dissimulada está livre do Restabelecimento. Ela está livre e não está, ainda continua em seu pensamentos conflitantes, loucos disturbados. Liberta-me começa 'exatamente' onde Estilhaça-me acabou. 

Após a Terra estar praticamente destruída pelos próprios humanos, o Restabelecimento centrou o poder, como forma de proteger a população quem ainda está vivo. No primeiro livro da trilogia tanto Juliette quando o leitor, não sabe o que realmente aconteceu a Terra enquanto a personagem estava trancafiada no 'manicômio' do Restabelecimento. Já no segundo livro, esse ponto de vista de como foi devastado e o que aconteceu é mais visível. Se você achou que o instinto maldoso de Mafi já era bastante, leia Liberta-me e verá que esse instinto aumentará ainda mais.  Juliette, a heroína intocável, estará perdida em seus sentimentos e na realidade, onde terá de encontrar um controle para sua vida. Acompanhado de um ritmo mais rápido e mais quente, a atrocidade dos personagens desencadeará guerras, mais destruição em um mundo já tão tão tão destruído. 

E o medo que eu estava de o livro ser decepcionante? Ao acompanhar séries, crio sempre grandes expectativas do próximo livro. E uau Liberta-me é bem melhor que o primeiro livro. Quando eu penso que não posso mais amar a autora, Tahereh Mafi se sobressai e surpreende ainda mais numa narrativa tão... tão cativante. Se você gostou do primeiro livro, Liberta-me é 'mil vezes' mais intenso, mais tenso, mais romântico e mais foda fascinante. Ano passado Mafi foi uma das autoras revelações no campo literário, com uma forma inovadora de escrever. Sem virgulas, pontuações e palavras grifadas. 
"Ele chegou a uma conclusão sobre minhas habilidades ontem: ele acha que o poder inumano do meu toque é apenas uma forma evoluída da minha energia. E o contato pele a pele é simplesmente a forma crua da minha habilidade.... Que meu verdadeiro dom é, na verdade, um tipo de força avassaladora que se manifesta em todas as partes... do meu corpo" Página 169.
Uma das coisas que me faz adorar a série é a criatividade da autora, se destacada das outras distopias. Os pensamentos perturbados em primeira pessoa, te faz ver vários pontos de vista. Os pontos de Adam e o de Warner. Te deixa com dúvida. Indeciso; Além de sua narrativa. Os personagens são ainda mais cativantes, personalidades sólidas, concretas, diversificadas e por fim estilhaçadas. Warner se mostrará de uma forma que nunca imaginei, o que me surpreendeu bastante. O que me levou até a gostar um pouquinho dele. Kenji, o mais pateticamente cômico,  será um dos personagens centrais de todo o enrendo e claro Adam

''Minhas calças caem no chão e as mãos dele são as responsáveis Estou nos braços dele usando roupa de baixo e uma regata que pouco consegue me deixar decentemente vestida [...] carrega-me até minha cama, e de repente, estou apoiada em meus travesseiros e ele está sobre meus quadris e sua camisa não está mais em seu corpo e não faço ideia de para onde foi. Tudo o que sei é que estou olhando para cima e para os olhos dele e estou pensando que não há nada que eu mudaria neste momento.'' Página 389.
Sinto me engasgado. Liberta-me me deixou mais louco ainda para o próximo livro, que ainda não tem título nem capa. Liberta-me me deixou pedindo mais mais mais, me fez ficar mais imperativo, fazendo me começar a ler qualquer livro. O segundo livro da série tem o intuito de proporcionar uma interação maior com leitor, uma veracidade na leitura e emoção. Eu fiquei totalmente empolgado ao ver Juliette se libertar do "mundo" inferior e arrebentado, quando ela se demonstrará totalmente "renovada" forte, imbatível. A personagem vai mudar muito durante a série. E as expectativas para o próximo livro são muitas muitas muitas

Confira toda a série

2 comentários

  1. Já havia lido o primeiro e achei surpreendente porque a escrita foi o que mais me chamou a atenção. Na verdade achei... Tipo... Um máximo, e o enredo me lembra bastante X-Men, mas fazer o quê né?

    Beijos.

    alolatemumblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Okay, não li porque não li estilhaça-me ainda! Pode me tirar uma dúvida? Sera que é possível ler esse livro sem ter lido o anterior?
    Um beijo.
    http://www.garotadolivro.com/

    ResponderExcluir

© setecoisas.com.