29/06/2013

"O anjo de Hitler", de William Osborne será lançado pela Seguinte

Seguinte já visou que lançará no segundo semestre de 2013, o livro de Will. Com previsão de lançamento em junho. Confira a capa e sinopse:

Leni tem catorze anos, é austríaca, judia e muito corajosa. Refugiada na Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial, certo dia é convocada pelo almirante MacPherson para a missão mais perigosa de sua vida...
Otto é alto, bem magro, tem olhos castanhos e vive na Inglaterra - sua família foi aprisionada pelos nazistas. Ele adora se meter em confusão e é por isso que, quando o almirante sugere que ele ajude o governo inglês numa missão ultrassecreta, ele aceita na hora.
Otto e Leni são enviados à Alemanha para resgatar uma garotinha chamada Angelika. Pouco se sabe sobre essa pequena órfã misteriosa em quem a Inglaterra tanto aposta como a arma secreta que colocará o ponto final naquela guerra sangrenta. Leni, Otto e Angelika enfrentam grandes desafios, descobrem segredos importantíssimos e acabam mudando os rumos deste episódio tão marcante para a história.

Quotes: Cores de Outono


28/06/2013

Para gostar de ler


Desde quando a biblioteca da escola Centro de Ensino Fundamental INCRA 08, atualmente, Centro Educacional INCRA 08, começou a lotar, estava perceptível que os alunos estavam gostando mais de ler. Um salto de 10 pessoas para 50 pessoas frequentemente entrando e saindo da biblioteca escolar. Em 2011, era bastante vazia no período vespertino, em 2012 com os professores voltando projetos de incentivo a leitura e provas relacionadas a certas obras, incentivou em 2013, os alunos a visitarem a biblioteca forma livres, para que eles entrassem porque realmente gostassem do sabor e o prazer da leitura.

Só existe leitura onde ler é uma tradição nacional; o hábito vem de casa e são formados novos leitores. Com uma pesquisa feita recentemente pelo Instituto Pró-Livro o brasileiro lê em média quatro livros por ano e apenas metade da população pode ser considerada leitora. “muitos brasileiros foram do analfabetismo à TV sem passar na biblioteca. No meu tempo escolar os professores costumavam indicar livros, mas que não pareciam legais a uma jovem de 15 anos, assim foi apresentado só a obras com linguagem difícil e que acabava ficando chatas. Com isso muitos perdem o gosto pela leitura” diz Jaqueline Milhomem de 31 anos, que adora ler.

Há alguns anos a leitura vem sendo cada vez mais aguçada em nossa sociedade, mas, certamente com o avanço tecnológico os livros acabam perdendo muitas vezes, quando tem que competir com estes no mercado da diversão, lazer e prazer. Nesse período digital a concorrência entre ficar o dia todo no facebook, twitter, youtube... E ler um livro é muito grande. Recentemente foram lançando os livros virtuais, chamados de e-books. Jaqueline afima: “Nos tempos modernos os e-books são muito importantes, pois a internet é um meio fácil de acesso e rápido, e chegam mais fáceis nas mãos dos leitores. Eu prefiro um bom e velho livro de papel, mas há aqueles que amam a era digital e um e-book.”. Será que os livros ganham um espaço maior que as redes sociais dessa forma?

Não basta um livro cheio de marketing ou um livro bastante comentado. Tem que ser “Um bom livro envolve o leitor e faz com que ele leia a obra até o final.” E além de se divertir o leitor também terá informação, sentido das palavras, escrita, e ocupação da mente. Agora pode ser usado aquele velho ditado “quem lê bem, escreve bem”. Ainda acha o livro coisa de pateta? Ainda não está com um na mão? Corre e vá ler um agora! A diversão não espera.

Lançamento de Confissões

O lançamento dessa sexta-feira é o livro Confissões da escritora mineira Paula Pimenta pela editora Gutenberg. 
O livro é cheio de poemas encantadores que a escritora lançou em 2001, mas agora 
ele recebeu uma nova edição. Vale lembrar que esse foi seu primeiro livro, então vale a pena ler e perceber o quanto a escritora cresceu e melhorou durante esses anos todos. 
Olha a capa do livro:


CONFISSÃO
"Eu só queria te falar que quando vejo você chegar, passar, ficar no lugar ou me olhar, meu coração ainda dispara, mesmo já tendo te visto milhões de vezes. Cada dia percebo uma graça nova em seu sorriso, e esse seu olhar só seu me tira deste mundo e me leva para um lugar encantado, dos meus sonhos, onde eu queria estar pra sempre. E eu fico só mirabolando planos que te façam me notar, e sei de cor a que horas e onde você vai passar, e eu gasto um tempão tentando ficar mais bonita, desejando ser uma deusa para você ficar deslumbrado comigo... E eu já nem sei mais quanto tempo vai durar essa paixão ou obsessão, eu fico imaginando como ia ser bom estar nos seus braços, nos seus abraços, com você nos seus passos. Mas você uma hora sempre vai embora, e eu fico com o coração apertado, parece que você leva metade de mim ou até eu inteira com você, mas quem dera que levasse mesmo... Ah, se você pudesse me amar, eu sei que só ia dar certo, que a gente ia esquecer todo o resto e viver só de gostar."
Confissão - página 13 

Resenha: O guardião


Autor: Nicholas Sparks
Editora:
Arqueiro
Páginas: 345
Avaliação: ★★★★★ ❤❤

Ler algo do Nicholas Sparks, foi totalmente interessante, intrigante e gostoso. O autor é conhecido por fazer romances tão fofos, que se você espremer saí açúcar (é o que dizem). O guardião é um livro romântico sim, mas é diferente. O autor usou invés de muito açúcar, colaborou com muito suspense, ação e uma pitadinha de drama. Claro que teve "Açúcar, tempero e tudo que há de bom. Estes foram os ingredientes escolhidos para fazer a história perfeita, Mas o Professor Sparks, acidentalmente, acrescentou um ingrediente a mais na fórmula: O suspense X".  Para os fãs de Nicholas Sparks, O Guardião é só mais um romance introdutor, igual. Mas se você pensa que é um livro de dar dor de dente ao ler, está enganado, muito pelo contrário. Numa mistura de uma escrita envolvente e atrativa, o leitor fica conectado de capítulo à capítulo.

26/06/2013

Resenha: 'A sabedoria do Condado', de Noble Smith


Autor: Noble Smith
Editora: Novo Conceito
Páginas: 176
Avaliação★★★★★

Está aí uma prova viva de que não devemos julgar antes de conhecer. O livro estava na minha estante faz um bom tempo e sinto vontade de me socar por deixar o livro tanto tempo à minha espera. Há uns três anos eu li o volume único de O senhor dos anéis, faz uns dois anos desde que assisti aos filmes. A Sabedoria do Condado propôs uma viagem por toda a Terra-Média, do Condado e da Árvore da Festa, aliás, em todo o universo e personagens criados por Tolkien. 

Noble Smith com certeza é um dos mais "tolkieanos" que já vi desde a minha existência. O que ninguém nunca imaginou foi: escrever um livro de autoajuda usando personagens de livros e filmes. A Sabedoria do Condado me visgou na primeira página – por eu já gostar dos livros – de uma forma cativante e envolvente. Noble interliga os seus conhecimentos sobre "o mundo de Tolkien" aos dias de hoje. De como buscar uma vida feliz com uma simplicidade, facilidade e praticidade. O livro mostra as coisas que parecem ser "bestas", mas que deixamos passar despercebidos. E isso que deixamos vazar pelos dedos é o que nós trará uma felicidade.  

24/06/2013

Resenha: Decisões

Autor: Bruno J. Gimenes
Editora: Luz da Serra
Páginas: 168
Avaliação: Muito bom. 

Quando a editora me mandou o livro para resenha fiquei receoso, pois não sou aquele fã de autoajuda. Quando me deparei com o prólogo e a apresentação do livro, eu pensei "isso é tudo verdade, joga na cara". Um livro muito atual e que fala sobre a sociedade contemporânea.

E quando leio um livro de autoajuda saiu riscado o coitado todo para quando eu quiser aqueles conselhos, eu possa correr no livro e ler. E com isso dá vontade de fazer uma resenha de quotes.  Decisões foi feito para buscar inspiração e paz interior, fazer reflexões sobre sua vidam, suas ações, como chegar a um equilíbrio, de como estar realizado. “Decisões: encontrando a missão da sua alma” fala sobre o poder da escolha, as decisões que nos mudam, que nos transformam, as decisões que tomamos durante toda a vida. Enfatizando que podemos optar por buscar um crescimento pessoal nessa existência. 

21/06/2013

Resenha: Lições de Vida


Autora: Anne Tyler
Editora: Novo Conceito
Páginas: 368
Avaliação: ★★★

No segundo livro da Anne Tyler publicado nacionalmente pela Editora Novo Conceito, a autora demonstra-se ainda mais detalhista. Numa escrita rápida, jovial, igual, cômica e simples. 

Maggie Moran é aquela típica pessoa que quer cuidar da vida de todos ao seu redor. Ela é “intrometida”, está sempre tentando fazer com que a vida dos seus próximos melhores. Sendo capaz de perder tudo por um sorriso. Mesmo sendo faladeira, desastrada, desajeitada e impetuosa tem alguém que aguenta Maggie a 28 anos, esse alguém é Ira, que é o oposto de Maggie (mas é o velho ditado "os opostos se atraem"). Sempre com mesma rotina e a tolerância de um aceitar o outro. Com a morte do marido de uma velha amiga do casal, fica decidido fazer uma viagem a um funeral. Mas ninguém sabe o quanto é inesperado, maluco e engraçado o percurso durante a estrada. Em busca de aventura e lembranças de sentimentos há muito deixados para trás.

20/06/2013

Resenha: Línguas de fogo

Autor: Karen Soarele
Editora: Cubo Mágico, 2012
Páginas: 216
Avaliação: Muito bom!
Série: Crônicas de Miríade, volume 01.

Em seu primeiro romance, envolvido numa série infanto-juvenil de cinco livros. Línguas de fogo é encantador e de leitura bastante agradável quanto rápida. Quando optei a ler o livro, veio aquele receio de que eu não deveria ler, por ser uma série "grandinha". Mas agora penso contrário, eu necessito ler.

Após um monstro, Salamandra de fogo, atacar um  dos vilarejos de Vulcannus, Dharon é envenenado por um veneno letal ao tentar proteger sua amiga, Aisling. Mas um amigo não quer ver o outro morrer não é? Aisling descobre que a cura para salvar seu amigo está em território inimigo.  E fará de tudo, até mesmo enfrentar seus maiores medos para salvar a vida de seu querido amigo. Aisling e Dharon vão se aventurar fora das fronteiras de Vulcannus. Como se não fosse suficiente a vida cronometrada de Dharon, eles arranjaram mais confusões e o que baseará na continuação da série.

19/06/2013

O romance de Elsa Lewin será lançado no segundo semestre de 2013 no Brasil.

Eu, Anna. o romance de Elsa Lewin será publicado pelo Grupo Editorial Record. A Editora já comprou os direitos e já está com capa e sinopse traduzidas.

"Anna Welles, 50 anos, divorciada, mora em um minúsculo apartamento com a filha adolescente em Nova York. Sentindo-se perdida e desamparada depois do fim de um casamento de quase trinta anos, ela busca meios de se reerguer. Em uma noite, depois de uma festa para solteiros, Anna acaba no apartamento de um estranho, e, de repente, toda a frustração e a solidão vêm à tona. E o que se segue é o início de seu pior pesadelo."

18/06/2013

Eu só... só cansei




De viver para isso, de viver para aquilo. Eu quero mesmo é viver sem razão, sem noção, viver só por viver não tem graça, quero extrair até a última gota de alegria. Quero apertar até sair toda imaginação para fora do pote "Viver sem limites". Deve ser isso que me mágoa, que as pessoas envolvem-se tanto com os problemas e com a correria do dia a dia, que deixa de viver. Eu quero é sorriso, quero é amor. Quero deletar o facebook, o twitter, quero não ter só amigos virtuais, quero tocar, abraçar, morder. Adeus sonhos, adeus vontade, quero realizar, deixar de desejar. Eu quero... quero é amar, quero é viver. Porque a vida não tem sentido, não tem nada imposto, não tem barreira. A vida é feita para... para você fazer o que quiser, quando quiser. 

Eu me sinto infeliz, já faz um bom tempo. Estou preso num ciclo vicioso que nunca acaba, será que acabará? Estou rodando, rodando, rodando, essa infelicidade toda, não tem como impedir, escapulir? Quero correr, implantar asas, só quero ter minha própria liberdade. Só quero, eu só quero, só quero querer. Eu só quero deixar de querer e fazer. Eu só quero... viver. 

Igor Thiago

17/06/2013

Resenha: "Liberta-me" de Tahereh Mafi

Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
Avaliação: ★★★★★ ❤❤
Série: Estilhaça-me, volume 02.

Nunca esperei tanto por uma continuação de uma série, quanto a de Estilhaça-me. No primeiro livro da série, Juliette a criança pequena e dissimulada está livre do Restabelecimento. Ela está livre e não está, ainda continua em seu pensamentos conflitantes, loucos disturbados. Liberta-me começa 'exatamente' onde Estilhaça-me acabou. 

Após a Terra estar praticamente destruída pelos próprios humanos, o Restabelecimento centrou o poder, como forma de proteger a população quem ainda está vivo. No primeiro livro da trilogia tanto Juliette quando o leitor, não sabe o que realmente aconteceu a Terra enquanto a personagem estava trancafiada no 'manicômio' do Restabelecimento. Já no segundo livro, esse ponto de vista de como foi devastado e o que aconteceu é mais visível. Se você achou que o instinto maldoso de Mafi já era bastante, leia Liberta-me e verá que esse instinto aumentará ainda mais.  Juliette, a heroína intocável, estará perdida em seus sentimentos e na realidade, onde terá de encontrar um controle para sua vida. Acompanhado de um ritmo mais rápido e mais quente, a atrocidade dos personagens desencadeará guerras, mais destruição em um mundo já tão tão tão destruído. 

E o medo que eu estava de o livro ser decepcionante? Ao acompanhar séries, crio sempre grandes expectativas do próximo livro. E uau Liberta-me é bem melhor que o primeiro livro. Quando eu penso que não posso mais amar a autora, Tahereh Mafi se sobressai e surpreende ainda mais numa narrativa tão... tão cativante. Se você gostou do primeiro livro, Liberta-me é 'mil vezes' mais intenso, mais tenso, mais romântico e mais foda fascinante. Ano passado Mafi foi uma das autoras revelações no campo literário, com uma forma inovadora de escrever. Sem virgulas, pontuações e palavras grifadas. 
"Ele chegou a uma conclusão sobre minhas habilidades ontem: ele acha que o poder inumano do meu toque é apenas uma forma evoluída da minha energia. E o contato pele a pele é simplesmente a forma crua da minha habilidade.... Que meu verdadeiro dom é, na verdade, um tipo de força avassaladora que se manifesta em todas as partes... do meu corpo" Página 169.
Uma das coisas que me faz adorar a série é a criatividade da autora, se destacada das outras distopias. Os pensamentos perturbados em primeira pessoa, te faz ver vários pontos de vista. Os pontos de Adam e o de Warner. Te deixa com dúvida. Indeciso; Além de sua narrativa. Os personagens são ainda mais cativantes, personalidades sólidas, concretas, diversificadas e por fim estilhaçadas. Warner se mostrará de uma forma que nunca imaginei, o que me surpreendeu bastante. O que me levou até a gostar um pouquinho dele. Kenji, o mais pateticamente cômico,  será um dos personagens centrais de todo o enrendo e claro Adam

''Minhas calças caem no chão e as mãos dele são as responsáveis Estou nos braços dele usando roupa de baixo e uma regata que pouco consegue me deixar decentemente vestida [...] carrega-me até minha cama, e de repente, estou apoiada em meus travesseiros e ele está sobre meus quadris e sua camisa não está mais em seu corpo e não faço ideia de para onde foi. Tudo o que sei é que estou olhando para cima e para os olhos dele e estou pensando que não há nada que eu mudaria neste momento.'' Página 389.
Sinto me engasgado. Liberta-me me deixou mais louco ainda para o próximo livro, que ainda não tem título nem capa. Liberta-me me deixou pedindo mais mais mais, me fez ficar mais imperativo, fazendo me começar a ler qualquer livro. O segundo livro da série tem o intuito de proporcionar uma interação maior com leitor, uma veracidade na leitura e emoção. Eu fiquei totalmente empolgado ao ver Juliette se libertar do "mundo" inferior e arrebentado, quando ela se demonstrará totalmente "renovada" forte, imbatível. A personagem vai mudar muito durante a série. E as expectativas para o próximo livro são muitas muitas muitas

Confira toda a série

16/06/2013

Uma faísca, uma revolução, uma população

O tema do post é um pouco distante, não é sobre livros. Não é sobre o prazer que o livro trás. Mas sim, o quanto a saúde, a segurança, a educação é tão valiosa. #TodaRevoluçaoComeçaComUmaFaísca toda revolução começa com uma pessoa diferente, como a Tris do livro Divergente ou como a Katniss de Jogos Vorazes. Na qual tem sempre um governo controlador, que tira todos os nossos direitos e fala "estamos cuidando de você" como no Restabelecimento que trancafiou Juliette (Estilhaça-me). Sinto que nunca vimos à imaginação da literatura tão próxima da realidade em que vivemos, assim como Guy Montag se rebelou contra a sociedade manipuladora em Fahrenheit 451. Os brasileiros presentes no mundo todo estão se revoltando contra nosso governo corrupto e injusto e isso mostra que nós, seres humanos, não podemos ser totalmente ludibriados por um simples jogo de futebol.

O povo cansou de ser besta. Isso tudo por 20 centavos? Caraca! Você não assiste TV? Não acompanha a política? Quantos já roubaram dinheiro público? Quantos já se beneficiaram do dinheiro de um trabalhador? 20 centavos? Durante toda a repercussão você acha que é só por causa de vinte centavos? De vinte em vinte, sua vida vem sendo sugada. Mas olha, tem Copa, tem estádio novo. Veja pelo lado bom, enquanto morremos estamos felizes. Enquanto estamos sendo roubados, mortos, de barriga vazia estamos fazendo o quê? Assistindo joguinhos. Ah, você sabe quanto que um jogador ganha? Que patético não é, você trabalhar um ano para conseguir juntar o que um jogador ganha em uma partida? Queremos educação, queremos saúde, queremos sair de casa sem medo, queremos segurança.

Ainda no império romano, o governo opressor controlava a população com os famosos gladiadores, que lutavam até a morte para manter os espectadores felizes e distraídos. Mais pra frente, criaram um ditado para esse tipo de gente “Pão e Circo pro povo”, mas será que isso ainda está funcionando? Não tanto. É claro que ainda existem aqueles que dão a vida por um jogo de futebol e poucos estão ligando se o mundo está desmoronando à sua volta, mas como já dizia o ditado, de grão em grão é que a galinha enche o papo. Então, podemos ter certeza de algo: Esse é o começo de algo que deve ser registrado!

O quão chato política, não é? "Só tem ladrões?" Mas quem colocou ladrões no poder? Quem? Diga-me! Pare de ignorar, pare de achar que política é um assunto banal. Se você pensa assim, se pensa que política não é assunto, sinto muito, mas com você o BRASIL (SIL SIL) não vai pra frente.

De momentos em momentos vemos novas filmagens em que a polícia que deveria cuidar para que não houvesse tumulto, mas está agredindo e prendendo manifestantes pacíficos. Temos como exemplo o que aconteceu com os manifestantes cariocas hoje, os manifestantes estavam cantando o hino nacional e gritando “Sem Violência” e no momento em que começaram a cantar novamente o hino, os policiais transgrediram a lei e lançaram bombas de gás e atiraram nos manifestantes. Agora me digam a que ponto chegamos? Não se pode nem cantar o hino do país? Onde está o patriotismo destes policiais? Essas e outras coisas nos deixam com o coração na mão, sem saber o que fazer e como nem todos podemos ir às ruas e protestar, estamos aqui dando nosso apoio do jeito que melhor sabemos, BLOGANDO!

Não! Esse não é um post para chamar atenção. Mentira, é sim! Para chamar muita atenção. Para o brasileiro enxergar que quem está no poder é ele. É o povo que decide se está com fome, inseguro ou doente. Mas como exigir um governo não corrupto se nós mesmos somos corruptos? (furar fila, não devolver o troco certo, dá uma de espertinho... isso é corrupção sabia?). 
Se você concorda, faça um post. Se estiver com preguiça copie esse do jeito que está e publique, divulgue! Mostre a sua cara de brasileiro. Você blogueiro tem o poder que nem imagina. 

15/06/2013

O Título não importa


JQ nunca foi um cara de estar junto. Ele nunca teve amigos, aliás, ele teve muitos amigos, ainda tem muitos amigos. Grande parte inventada, imaginária. Diz ele ser o melhor amigo que se pode ter. 

Mas a vida está para lhe pregar peças, um vendaval sentimental está para vir. Ele menos espera, tá chegando, é na livraria, no andar de cima. Um dia normal, como os outros ele e seus "amigos" estão indo atrás de mais um lançamento, porque é sempre assim, leitor assíduo está na livraria no dia de lançamento. 

Parece esquisito, mas está tocando uma das músicas favoritas de JQ, é uma que diz sobre o amor, sobre as pessoas, sobre o sentimento. Ele fica ali parado, pensando, no dia que deu seu primeiro beijo. Aquela música tocou, tocou várias vezes no aparelho velho do seu quarto. JQ era apenas uma criança quanto aconteceu, mas nunca esqueceu seu primeiro e único beijo.

14/06/2013

Um projeto doce

Já viu um projeto incluindo doces de uma forma tão divertida? Você concorda que na maioria das vezes naquele trânsito barulhento, é cheio de pessoas irritadas. E talvez seja por isso que os vendedores de semáforos sempre levam um não na cara?  Só que algumas mentes estão prestes a tirar essa rancor e tensão dos motoristas com: 

O objetivo do projeto, criado por Will Ferrari Jr., Alexandre Freire e Guilherme Cruz, é aumentar a lucratividade desses vendedores usando o poder das palavras através de frases e ilustrações bem humoradas.
Será que pequenas atitudes pode mudar dois mundos?  A Resposta é:

Sim!
Sim, pequenas coisas, poucas palavras mudam as pessoas! 

13/06/2013

Resenha: "O soprador de vidro" de Marina Fiorato

O Soprador de Vidro Autor: Marina Fiorato
Editora: Prumo
Páginas: 296
Avaliação: ★★★★★

Primeira vez em Veneza. Conhecida por toda sua arte, por ser umas das cidades italianas mais românticas, com muita história, monumentos e museus. Ser soprador de vidro é ter o dom de modelar o vidro, de fazer coisas incríveis com esse elemento. Mas aí você deve estar pensando que o livro é sobre como modelar vidro, ou como fazer um peça bem feita. Como já dito Veneza é conhecida por tanta história que a contida nela. E a ilha italiana de Murano é o berço dessa arte - o local em que os antepassados de Leonora, ou Nora, reuniam-se para transformar areia em verdadeiras obras de arte.

O livro no início é lento e chato, mas depois ele começa a ser muito bom. O soprador de vidro é um livro confuso. Com um começo confuso. Mas a confusão está ligada ao final do livro. Leonora Manin está cansada de sua vida como professora universitária de vidraria e cerâmica, ela quer trabalhar e se sustentar com oque sempre amou fazer, soprar vidro. Porém, após de ser largada por seu ex-marido. Ela vê-se sem rumo, e parte para a ilha de Murano, onde é o seu verdadeiro lar. Porém toda a história dos seus ancestrais irá interferir no seu presente. Desde seus antepassados a artes corre nas veias de Leonora. Em busca da verdade, sobre sua descendência ela irá pesquisará em uma biblioteca local sobre sua vida, sobre a antiga Itália Medieval e Renascentista. Além de um amor, além de uma trama. É envolvido uma política e vingança. Será que o rancor sempre perseguirá o coração das pessoas?  
"Isso é comum aqui. Você vê circulando as mesmas feições que existem há centenas de anos. Os mesmo rostos. O único que você nunca vê é o de Veneza. Ela sempre anda mascarada, e por baixo da máscara sempre foi corrupta" Página 105
Marina Fiorato construiu um livro que deixa aquela vontade para saber o que acontecerá. Deixa a expressão de que é um livro simples, cansativo ou lento. Mas, entre as últimas cem páginas sua escrita intriga o leitor, deixa-o mais conectado ao livro. O livro é intercalado entre o presente e passado. Quando não passava-se nas cenas de Nora ou Leonora. Passava no tempo de Corradino Manin. O livro trás muito suspense, surpresa; É uma leitura expressiva, detalhista, que chega até ser cansativa. Mas creio que esse foi um bom aspecto, o livro ser lento faz você prestar mais atenção. É uma 'lenteza' gostosa e cheia de mistério. Pelo livro se tratar em Veneza chego até pensar que é uma história real, porque é isso que a autora quer proporcionar. 
"Murano. O berço do vidro. O local de trabalho dos seus antepassados. Nora sentiu um sobressalto ao passar pelo fondamente apinhado de fábricas. Os mesmos prédios, nos mesmos lugares, que abrigavam as mesmas habilidades que tinham fazia séculos. Ela sabia que voltaria no dia seguinte..." Página 39
Venha desvendar esse mistério com Nora Manin. 

10/06/2013

Resenha: "72 horas para morrer" de Ricardo Ragazzo

Dentre melhores os suspenses que li 72 horas para morrer está entre um deles. Com uma abordagem diferente sobre assassinatos. Ficou entre os melhores por causa de inteligencia e a crueldade de um Serial Killer, em meio ao mistério de quem poderia fazer tais atos, o autor prende o leitor do começo ao fim, ficando  os olhos do leitor de capitulo à capitulo. Não digo que é um livro gostoso (por causa do sofrimento), mas se torna um livro empolgante que deixa aquele velho ar de "quero mais" ou "quem matou quem, vou acabar hoje". 

Julio, delegado de uma pequena cidade. Torna-se alvo de um serial killer (ou killers?) que não quer nada mais do que vingança, ou será que ele quer algo a mais?  Qual é a forma de fazer uma pessoa sofrer sem ser morta? Pense. O que aconteceria se as pessoas que você ama fossem "deletadas" de universo de um à um, pouco à pouco? Reformulando, além de sua vida terá de salva a vida das suas pessoas queridas. Será que ele conseguirá? A cada avanço das páginas o autor das mortes, parece saber a vida do delegado detalhadamente. Mas o que ela fará sendo que é ele que está no meio dessa encruzilhada? Como vencer uma pessoa que sabe tudo sobre você? 

O autor demonstrou-se capaz como grandes autores, em seu primeiro livro. É possível sim, ter livros de qualidade nacionais, além desde com certeza existe vários outros. Tendo uma premissa envolvente e impressionante. Com intensão de surpreender o leitor ao mesmo tempo em que o protagonista da história.

"Uma sensação contraditória de querer saber o que realmente havia acontecido e o medo da resposta." Página 22

O final criado pelo autor, surpreendeu bastante. Completamente inesperado. Considerado um desfecho clinicamente intrigante. Recomodadíssimo para todos que gostam de livros cheios de ação, rápidos e com muito suspense. 

06/06/2013

Meme: Conheça o blogueiro.

03/06/2013

Única Editora, novo selo da Editora Gente.


A Editora Gente conhecida por publicar de livros de não-ficção. Mas ela está prestes a inserir o selo Única Editora, que lançará títulos de ficção. 

O selo Única entra no mercado editorial brasileiro com a missão de provocar experiências. De apresentar histórias para serem vividas pelo leitor, realidades outras, intensas, inteligentes, provocantes. Personagens - reais ou não - que oferecem mais do que suas próprias vidas, que oferecem suas essências. O lema da editora é: A ÚNICA EXIGÊNCIA É NÃO TER LIMITES


2012 - 2018 © Sete Coisas.