// 5 Sep 2012

Para Refletir

 

“Às vezes penso em como seria curioso ter um vislumbre do futuro, uma rápida visão de factos que nos aguardam numa data não revelada. E se pudéssemos espiar por um minúsculo buraco no tempo e dar por acaso com um lampejo do que virá nos anos à frente? Alguns desses momentos não teriam sentido algum para nós, e desconfio que outros nos assustariam além do suportável. Se soubéssemos o que assoma no horizonte, evitaríamos além certas coisas, escolheríamos a opção B em vez da A na bifurcação da estrada: o emprego, o casamento, a mudança para um novo estado, o parto, o primeiro copo, a escolha do procedimento médico. O tempo, claro, corre apenas num sentido. Aqui, no vazio e pétreo presente, estamos abrigados do conhecimento dos riscos que nos esperam, protegidos dos horrores futuros por uma ignorância cega.” -- Sue Grafton
***

“E talvez esse desfecho já fosse esperado, todos partindo, todos aqueles que um dia prometeram ficar estão indo embora, e mais uma vez as promessas não foram cumpridas. Sabe, eu cansei de me decepcionar, de me iludir, realmente cansei de me importar demais, mas ninguém precisa saber o que se passa aqui dentro, então… Deixei eles irem, e continuarão a ir embora, não vou pedir para ninguém ficar, simplesmente vou deixa-los livre, afinal o que é meu não me abandona.” -- Romantizar


Post a Comment