31/08/2012

Não é a carta de Hogwarts #1

Vou logo avisando que o vídeo não ficou lá essas coisas, mas estou feliz mesmo assim porque é o primeiro vídeo dedicado ao blog. Espero pela compreensão de vocês.


* no começo da caixinha do correio, fiquei super estranho, juro que vou melhorar. 

30/08/2012

Resenha: Quando ela se foi


De que valores você abriria mão para salvar alguém que ama?

Harlan soube usar formas diferentes de pensar, trazendo uma nova história com o carismático Myron Bolitar em uma busca frenética por três continentes. Harlan Coben cria um mundo de armadilhas imprevisíveis em que conflitos religioso, politica e pesquisas genéticas se misturam à amidade, logo interagindo com o perdão e a chance de um novo começo.

Dez anos atrás, Myron Bolitar e Terese Collins Fudiram juntos para uma ilha. Depois disso, ele se reencontraram apenas uma vez, quando Terese ajudou Myron a salvar seu filho. E depois disso ela foi embora sem deixar vestígios. Dez anos depois no meio da madrugada Myron após receber um ligação de uma pessoa que havia se entregue de corpo e alma a dez anos atrás fica surpreso, poís fazia tempos que não se falavam. Só na sua ligação só dizia: "Venha para Paris" Então Myron Bolitar cruzou o Atlântico para ajudar Terese Collins a desvendar o assassinado do ex-marido, Rick Collins.

Mas algo mais ameaçador vem pela frente: perto do corpo havia fios longos de cabelos loiros e uma chama de sangue, que, após o exame de DNA foi revelado que a amostra de sangue pertencia a filha de Terese e Rick. Só que a filha única morrera em um acidente de carro a muitos anos antes. Logo, correm atrás do destino da filha que ela achava que estava morta. Myron ao desenrolar do livro se vê atuando como detetive, sempre quando vemos que séra o fim dele aparece alguém disposto a cooperar em suas investigações "É dificil resistir o jeito de bom moço e suas tiradas bem-humoradas." 

A editora está de parabéns, pois a capa sinceramente ficou extraordinária, pois sou apaixonado por Paris. Ficou um fundo bastando legal ao por do sol, destacando a Torre Eiffel. E também se encontra na capa a frase que citei lá em cima, fazendo com que o leitor pense e reflita sobre o livro. Trazendo assim, um aspecto de curiosidade.

Recomendo o livro pra pessoas que gostam de muita ação, e historias policias. Mas também se encontra um pouquinho de romance. É um livro que se lê rapidinho (eu li em um dia). Obrigado por ler a resenha, se interessaram?

Resenha: Jogos Vorazes

Brazlândia, Brasília - DF, Brasil
Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
Páginas: 379
Avaliação: ★★★★

Após o fim da América do Norte, em Panem existiam treze distritos, agora só restam doze. O décimo terceiro distrito foi destruído após a revolta contra a Capital! A Capital como punição criou os Jogos Vorazes para destruir quem queria se rebelar novamente, esses jogos acontecem anualmente onde duas crianças de 12 a 16 anos são escolhidas como tributo de cada distrito, após serem escolhidas são levadas a Arena para lutarem entre si até a morte, fazendo que sobre só um sobrevivente. Só que dessa vez na Edição 74º a irmã de Katniss é "sorteada". Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Junto com Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre!

O distrito 12 é um dos mais pobres da nação Panem, e é lá onde Katniss mora, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil, além do mais que Katniss é uma caçadora ilegal, desde pequena começou a caçar com seu pai. Com sua caça ela trocava em outros alimentos ou tentava vender no Prego, arcando com as consequências, dividas e sustentando a sua casa após o falecimento de seu pai. Como não era trabalho garantido Katniss, sua mãe e sua irmã Prim, as vezes eram obrigadas a passar fome. Só que o futuro de todas elas está para mudar...

Como foi dito nos paragráfos anteriores Katniss vai arriscar sua vida numa alucinante aventura, que ocorre entre 397 páginas. Traições, trapaças, e mentiras, vale de tudo para sobreviver. Do que ela será capas de fazer para ganhar? Enganar, mentir? Se perder, morre. Para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes? Mas até ela mesma vai duvidar dos seus próprios sentimentos dentro e fora da Arena Voraz..

Suzanne Collins explorou novos conceitos e novos horizontes criando um mundo totalmente diferente surpreendendo do começo ao fim, com suspense, romance e ficção. Parabéns é isso que tenho a dizer! Ela soube descrever muito bem as pessoas os lugares e, soube mostrar muito bem os sentimentos da própria Kat, ela escreveu de um modo diferente, foi uma forma que eu nunca tinha visto antes, mas eu gostei bastante!

Particularmente gostei muito do primeiro livro, já sou fã. Eu percebi que tem a emoção que nos faz devorar o livro rapidamente esperando saber o que acontece no final. Eu senti um pouco de dificuldade em escrever a resenha porque o livro é muito bom pra ser 'descrito'. É uma narrativa de fácil compreensão  e muito empolgante, até certos pontos chega a ser engraçado. E fácil notar a confusão que Catnip (Katniss) faz em sua própria cabeça, realmente é uma personagem muito louca, por isso me apeguei tanto a ela. 

Mas sera o que vai acontecer com Katniss? Ela irá sobreviver? Fará todos verem que não precisam de um governo para mostrar quem manda? Do que ela será capas? Mas isso você só descobrirá se ler.


29/08/2012

Saudade: Harry Potter




Filha: Mamãe, preciso fazer uma redação para a escola sobre uma viagem. Qual foi a melhor viagem que você já fez? - perguntou a menina. A mãe fechou os olhos e as lembranças invadiram sua mente. A mulher sentou-se ao lado da filha no sofá.

28/08/2012

E o blogguer ataca de novo.

ATENÇÃO: O blogger está deletando blogs 


Estou meio atrasado, mas vim saber hoje. Então resolvi compartilhar o que sei, e para as pessoas que não sabem. Alguns blogueiros, temos a mania de retribuir os cometários, pelo menos eu, esse não é o ruim. Pois é uma técnica também para a divulgação do blog e também tem gente que comenta em vários blogs para divulgação ou porque quer mesmo, enfim, tem várias justificativas para o ato de comentar. E sempre nós deixamos o link de nosso blog no fim, certo?

O problema é que o blogger está detectando os links que deixamos nas postagens como SPAM e o Blogger resolveu excluir os blogs que comentarem usando algum link, pelo motivo desses tais cometários estão sendo considerados propagandas.

A solução de um blog, que eu li. é: 'Crie uma nova conta no google, não precisa ser necessariamente no blogger, apenas para retribuição ou divulgação. Assim pelo menos de o blogger remover sua conta não afetará o blog de vocês. Vou criar a minha hoje para retribuir os comentários do post anterior.'

Outro modo que visto no blog, é você destravar o seu perfil e pedir na hora do comentário, visitar-lo.

Na minha opinião a equipe Google as vezes acabam fazer muita coisa errada, pensando que está nos ajudando. 

26/08/2012

Resenha: No presente



Autor: Márcio El-Jaick
Editora: Gls
Páginas: 139
Avaliação: ★★★★★

Em No presente, Márcio El-Jaick tece, de forma sensível e contundente, o universo do menino André, que, em meio a dor provocada pela morte do tio, vive a descoberta de sua sexualidade.Importunado pelos garotos da escola, enfrentando sozinho o inusitado do seu desejo, colhendo aqui e ali informações e desinformações sobre o que o cerca, esse pequeno fã de Van Gogh e X-Men, pianista nato e aspirante a veterinário assimila o mundo com o poético filtro dos seus olhos infantis. 

Peguei o livro pela capa, na biblioteca. Por causa da capa que é bem interessante e chama bastante atenção. Também não li a sinopse do livro o que me desfavoreceu muito. Não tem nada haver com o tema, fui descobrir só depois do que se tratava o livro quando eu já estava na metade dele. Não abandonei a leitura, mas o livro não me trouxe muito rendimento. 

O vocabulário é meio pesado, utiliza termo com "bolas" entre outros. Foi engraçado que eu li a essa parte, juro que comecei a rir. Mas eu acho que há bastante jovens que se encontram nessa fase, de descobrir a sexualidade. O foi isso que o jovem André passa no livro; Ele gosta de uma menina, só que ele sente atração por meninos. Então acontece uma reviravolta tanto no mundo e na cabeça do menino. Pois ele não sabe o que significa vários termos que garotos da sua escola o chamam. O livro então passa a ser um pouco investigativo. Onde ele vai atras de fatos, de experiências, de estórias. 

Eu não consegui encontrar o final verdadeiro no livro, garanto que fiquei perdido na leitura. Não consegui mais entender nada. Assim foi ficando sem sentido pra mim. Digamos, que o autor não conseguiu abortar muito o tema. Acho o homossexualismo um tema bastante normal, quanto aberto. Com certeza o autor poderia ter aproveitado mais assuntos e incrementado o livro.

21/08/2012

Refletindo


Às vezes, o que precisamos está tão próximo… Passamos, olhamos, mas não enxergamos. Não basta apenas olhar. É preciso saber olhar com os olhos, enxergar com a alma e apreciar com o coração. O primeiro passo para existir é imaginar. O segundo é nunca se esquecer de que querer fazer é poder fazer, basta acreditar.Pedro Bial. 
***
“Você pode me dizer por que as pessoas se esforçam tanto para esconder seu eu verdadeiro? Ou por que sempre me comporto de modo muito diferente quando estou perto dos outros? Por que as pessoas confiam tão pouco nas outras? Sei que deve haver um motivo, mas algumas vezes acho horrível não poder confiar em ninguém, nem mesmo nas pessoas mais próximas.” Anne Frank. 

20/08/2012

Resenha: O símbolo Perdido



Autor: Dan Brown
Editora: Sextante
Páginas: 502
Avaliação: ★★★★

Primeiramente é bem difícil fazer uma resenha de um livro tão grande, porque você nunca consegue pegar todos os pontos. O que influência também na minha dificuldade de  resenhar é pelo livro ser exaustivo. Não recomendo as pessoas que tem preguiça, e que não gostam de 'coisas' religiosas. 


O segredo é saber como morrer.
Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico. O tempo está contra eles. E muitas outras pessoas parecem estar envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um esta. Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris.
"Você logo perderá tudo o que lhe é mais precioso"


Como eu já disse foi uma leitura muito tensa, lenta, e chata. Não sou muito a favor de livros que falam sobre religião - e eu não sabia, eu tenho a mania de pegar o livro pela capa ou pelo titulo, acabo não lendo a sinopse. Mas como fui fiel, li o livro, me arrependi um pouco. Porém, fiquei sabendo mais sobre a maçonaria e os mitos que já havia ouvido falar.

15/08/2012

Resenha: "Eragon" de Cristopher Paolini


Autor: Christopher Paoline
Editora: Rocco
Avaliação: ★★★★

É o primeiro livro do ciclo a Herança de Cristopher Paolin., Eragon é o romance de estreia de Christopher Paolini, uma história repleta de ação, perigosos vilões e locais fantásticos. Com dragões e elfos, cavaleiros, lutas de espadas; inesperadas revelações e, claro, uma linda donzela que é bem capaz de cuidar de si própria. O protagonista, de quinze anos, é um pacato rapaz do campo, que ao encontrar na floresta uma pedra azul polida. Se vê da noite para o dia no meio de uma disputa pelo poder do Império, na qual ele é peça principal.

É realmente um livro muito bom, o autor faz com que o leitor pule para dentro das páginas, que sinta a emoção e tenha uma tamanha curiosidade ao que vai acontecer com o personagem. Ele "transporta" o leitor para um mundo medieval onde ainda havia dragões, batalhas sangrentas, monstros.. O amor é verdadeiro e a lealdade a família e aos amigos é inquestionável. Gostei bastante do campo criado propriamente ele, sem falar dos seus personagens bem construídos 

Odiei a diagramação do livro, letras muito muito pequenas. Outro ponto negativo é que o livro é de narrativa lenta, fazendo que a leitura passasse a ser cansativa. A capa, foi um dos mais pontos negativos, as editoras erram muito (nesse caso acho que foi o autor), pois quando um leitor pega o livro pela primeira vez acha que Eragon é o dragão.

A história é bem simples, porém confusa (acontece muitas coisas no livro). O personagem Eragon (não é o dragão), em uma de suas caçadas na cordilheira conhecida como Espinha, Eragon encontra uma pedra azul, só que esse tal pedra não é um pedra, é um ovo. Nele à contido um dragão que está adormecido durante anos e anos esperando a chegada de seu cavaleiro, foram criados há milhares de anos como resultado de uma grande guerra entre elfo e dragões, no intuito de garantir paz entre as duas raças. Agora depois de anos Eragon é o mais novo Cavalheiro de Dragão. Juntamente com Zaphira dragoa recém nascida, logo os dois passam a ter um afeto, assim passando por várias turbulências e gerando a história em si (não estou falando nada com nada). Passando agora "da noite para o dia", de uma pacata vida em um pequeno vilarejo, ele é lançado para um arriscado novo mundo movido pelas tramas do destino, da magia e do poder. Empunhando uma espada lendária e seguindo as sábias palavras de um velho contador de historias, Eragon e sua outra metade, a leal dragão fêmea Saphira, terão de se aventurar por terras perigosas e enfrentar inimigos sombrios em um Império governado por um rei cuja maldade não conhece fronteiras

Mas não adianta eu falar tudo né? Assim perde a graça. Mas será que ele vai conseguir trilhar o seu caminho? Será que conseguirão vencer os obstáculos que o destino lhes reservou?

07/08/2012

Refletir

“Você combinou de jantar com a namorada, está em pleno tratamento dentário, tem planos pra semana que vem, precisa autenticar um documento em cartório, colocar gasolina no carro e no meio da tarde morre. Como assim? E os e-mails que você ainda não abriu, o livro que ficou pela metade, o telefonema que você prometeu dar à tardinha para um cliente? Não sei de onde tiraram esta idéia: morrer. A troco? Você passou mais de 10 anos da sua vida dentro de um colégio estudando fórmulas químicas que não serviriam para nada, mas se manteve lá, fez as provas, foi em frente. Praticou muita educação física, quase perdeu o fôlego, mas não desistiu. De uma hora pra outra, tudo isso termina numa colisão na freeway, numa artéria entupida, num disparo feito por um delinqüente que gostou do seu tênis. Qual é? Morrer é um clichê. Obriga você a sair no melhor da festa sem se despedir de ninguém, sem ter dançado com a garota mais linda, sem ter tido tempo de ouvir outra vez sua música preferida. Você deixou em casa suas camisas penduradas nos cabides, sua toalha úmida no varal, e penduradas também algumas contas. Os outros vão ser obrigados a arrumar suas tralhas, a mexer nas suas gavetas, a apagar as pistas que você deixou durante uma vida inteira. Logo você, que sempre dizia: das minhas coisas cuido eu! Que pegadinha macabra: você sai sem tomar café e talvez não almoce, caminha por 1 rua e talvez não chegue na próxima esquina, começa a falar e talvez não conclua o que pretende dizer. Não faz exames médicos, fuma dois maços por dia, bebe de tudo, curte costelas gordas e mulheres magras e morre num sábado de manhã. Se faz check-up regulares e não tem vícios, morre do mesmo jeito. Isso é para ser levado a sério? Morrer cedo é uma transgressão, desfaz a ordem natural das coisas. Morrer é um exagero. E, como se sabe, o exagero é a matéria-prima das piadas. Só que esta não tem graça!”
Pedro Bial

03/08/2012

Textinhos & frases

 Renato Russo: 
“Esquece esse lance de mudar por alguém. As pessoas que gostarem do seu jeito se aproximarão, e as que não gostarem se afastarão, é simples.”

 Caio Fernando Abreu:
 “Levanta dessa cama garota. Anda! Sei que tá doendo, mas levanta. Coloca uma roupa. Passa a maquiagem. Arruma esse cabelo. Ajeita a armadura. Segura o coração. Sai por aquela porta. Enfrenta o vento. Sorri pro Sol. Segura o coração. Olha pra ele. Passa reto. Não caia. Não caia. Engole o choro. Fingi de morta quando ele falar com você. Seja fria. Continue andando. Enfrente seus problemas de cara. Reaja. Vai. Tá pensando que é só você que sofre? Tá enganada. Anda menina. Para de ser infantil. A culpa não é de ninguém… Se apaixonou, agora segura. Anda. Seja forte. Seja feliz. Seja uma mulher.”

  As Crônicas de Nárnia:
 "Uma palavrinha, dona — disse ele, mancando de dor —, uma palavrinha: tudo o que disse é verdade. Sou um sujeito que gosta logo de saber tudo para enfrentar o pior com a melhor cara possível. Não vou negar nada do que a senhora disse. Mas mesmo assim uma coisa ainda não foi falada. Vamos supor então que esta fossa, este seu reino, seja o único mundo existente. Pois, para mim, o seu mundo não basta. E vale muito pouco. E o que estou dizendo é engraçado, se a gente pensar bem. Somos apenas uns bebezinhos brincando, se é que a senhora tem razão, dona. Mas quatro crianças brincando podem construir um mundo de brinquedo que dá de dez a zero no seu mundo real. Por isso é que prefiro o mundo de brinquedo. Estou do lado de Aslam, mesmo que não haja Aslam. Quero viver como um narniano, mesmo que Nárnia não exista."




2012 - 2018 © Sete Coisas.